Por conta da pandemia de COVID-19 e do decreto de quarentena pelos governos, cresceu bastante o número de empresas que passaram a vender os seus produtos através de e-commerce. Criar um ambiente online para divulgar e comercializar os seus produtos é uma forma de se manter ativo e atender a um público que agora tem a necessidade de comprar online devido às medidas de isolamento.

A estratégia das lojas de migrarem ou criarem seus e-commerces evidentemente são devidos aos resultados negativos das lojas físicas também. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, de março a abril foram registrados 100 mil novos e-commerces.

As lojas virtuais têm servido de grande importância para manter a “roda” econômica girando e que pequenos negócios consigam se manter. Visando isso, listamos três razões para você investir em e-commerce, agora, em meio a uma pandemia.

Não saberemos quando as coisas voltarão ao normal

A falta de informação referente aos impactos futuros do coronavírus tornam provável, pelo o menos até à chegada de um tratamento eficaz ou de uma vacina, que siga em vigor práticas de isolamento e de evitar aglomerações, o que seguirá sendo prejudicial para lojas físicas.

Investir em lojas virtuais manterá ativo o seu negócio, você conseguirá ter algum tipo de renda nesse período tão caótico e dependendo do sucesso poderá até manter empregos e etc, colocando dinheiro na mão de pessoas que também irão gastar – o que é ótimo para o atual momento econômico.

Ter um e-commerce pode aumentar suas vendas territorialmente

A loja física tem em si muito uma questão relacionada à localização, já a loja online irá morar em todo lugar. Você pode utilizar o seu e-commerce para buscar novos ares, públicos de outros bairros, cidades e até países. Se o seu produto for bom e chegar ao seu comprador, você poderá ter clientes em muitos lugares, ainda mais agora que o mundo todo está mais ainda online.

Se você não estiver no e-commerce, com certeza seu concorrente estará!

Pois é! Segundo a mesma ABComm, o que já era uma tendência sem considerar a pandemia, fez com que virasse uma orientação, afinal, o comércio eletrônico aumentou sua base em de usuários em 70%. Consequentemente, quase todas as lojas estarão online, até mesmo as que conseguirem manter uma clientela forte presencialmente após a pandemia.

Tenha certeza, o futuro das vendas terá no e-commerce muito da sua sustentação!  

© 2006 Copyright • Todos os direitos reservados