Escolha uma Página

No Brasil, o hábito da leitura ainda engatinha. Em maio de 2016, a pesquisa Retratos da Leitura mostrou que 56% da população diz ter lido um livro (ou partes de um) nos primeiros 3 meses daquele ano. Apesar do índice ter aumentado 6% em relação à pesquisa anterior (de 2011), o número ainda é baixo, já que a outra metade desse percentual nunca leu ou sequer comprou um livro na vida.

Para incentivar o aumento no número de leitores e comemorar o Dia do Escritor, preparamos uma pequena lista com 9 obras para você ler, reler e compartilhar com seus amigos:

“Para Sempre Alice”, de Lisa Genova

Uma bem-sucedida e jovem professora universitária começa a sofrer com uma forma mais agressiva do Mal de Alzheimer. Sensível, tocante e profundo, o livro foi brilhantemente adaptado para o cinema, que rendeu à Julianne Moore o seu tão esperado Oscar de Melhor Atriz.

“Herculanum”, de J. W. Rochester

No ano de 79 d.C., o vulcão Vesúvio, na Itália, entrou em erupção de forma abrupta, dizimando as cidades de Pompeia e Herculano. O único sobrevivente da tragédia, ao andar entre as ruínas, se encontra com um estranho que diz ter tido contato com Cristo. Então, novas lições de vida em meio à destruição começam a ser ensinadas. Livro com temática espírita, é um pouco difícil de ser encontrado em livrarias convencionais, porém marca presença em sebos.

“A Menina que Roubava Livros”, de Markus Zusak

A Morte, exercendo seu papel de recolhedora das almas, conhece a pequena Liesel em plena 2ª Guerra Mundial. Ela começa a observar a relação da menina com os livros e com os moradores da cidade, apenas esperando a hora de poder levá-la. Adaptado para o cinema, o livro tem uma história inocente e emocionante, nos fazendo nos apaixonar pela pequena protagonista.

“Contato”, de Carl Sagan

A radioastrônoma Eleanor Arroway descobre sinal de vida alienígena a partir de sinais recebidos da estrela Vega, localizada há milhões de anos-luz da Terra. Esse sinal traz, entre outras informações, as instruções para a construção de uma máquina interestelar. Após concretizar a obra, a cientista quer viajar até a estrela e realizar contato com os possíveis extraterrestres, mas precisa lidar com muitas adversidades, principalmente com o fanatismo religioso. Clássico da ficção científica, foi adaptado para o cinema em 1997.

“E Não Sobrou Nenhum”, de Agatha Christie

Dez pessoas são convidadas para uma estadia em uma isolada ilha. Lá, descobrem algo em comum em seus passados: todos cometeram um crime. Enquanto tentam desvendar a identidade do anfitrião, um silencioso assassino começa a matá-las uma a uma, seguindo os versos de uma cantiga infantil. Fascinante obra da Rainha do Suspense, o filme foi adaptado para o cinema e a televisão e consta entre um dos livros mais vendidos no mundo. Pode-se encontrar sob seu título original, “O Caso dos Dez Negrinhos”.

“Forrest Gump”, de Winston Groom

Forrest Gump é um grande idiota. Mas isso não o impediu de viver experiências únicas na vida, como jogar futebol americano, lutar na Guerra do Vietnã e viajar ao espaço. Narrado em primeira pessoa e seguindo a limitada comunicação do protagonista, o livro proporciona momentos cômicos e uma leitura dinâmica e gostosa. Adaptado com sucesso para o cinema, com Tom Hanks vivendo o protagonista.

“Angus”, de Orlando Paes Filho

O clã escocês MacLachlan testemunhou e participou de grandes acontecimentos históricos, interagindo com personalidades famosas ao longo dos séculos. Seus guerreiros, buscando manter as virtudes e o moral de seus códigos, ajudou a construir a história da humanidade. Misturando fantasia e realidade, essa trilogia brasileira alcançou grande sucesso no início dos anos 2000 e foi vendida para mais de 30 países.

“A Última Música”, de Nicholas Sparks

A jovem Veronica foi um grande prodígio no piano, mas a separação dos seus pais a tornaram uma adolescente rebelde e desinteressada. Enviada para passar uma temporada com o pai, ela se aproxima de um popular jovem local na defesa de um ninho de tartarugas. A parceria logo se transforma em amor, ao mesmo tempo em que ela busca retomar o relacionamento com o pai. Primeiro livro do autor adaptado para o cinema, as duas versões alcançaram sucesso entre os apreciadores de romances.

“Eu, Christiane F., 13 Anos, Drogada, Prostituída…”, de Kai Hermann e Horst Rieck

A vida da adolescente Christiane F. muda assim que o pai, frustrado com o fracasso profissional, passa a agredir a família. Aos poucos, a jovem começa a andar com más influências, que lhe apresentam ao álcool, às drogas e à prostituição. Baseado em relatos reais, a obra dos dois jornalistas alemães virou uma febre proibida entre os adolescentes e se tornou um pesado clássico contemporâneo.

Gostou das nossas dicas? Então, boa leitura! 😉