Escolha uma Página

Criatividade. Uma palavra fácil de se definir e difícil de se colocar em prática. Há quem garanta que ela não é algo que se adquire ao longo da vida, que já nasce com a gente. Balela!! O processo criativo pode sim, algumas vezes, já se manifestar na infância, porém nada impede que ela seja desenvolvida em idade mais adulta.

Então, como eu posso desenvolver a minha criatividade? Bom, já mostramos aqui como desenvolver uma rotina produtiva. Agora, trazemos algumas dicas para você se tornar uma pessoa mais criativa.

Passe um tempo com a Mãe Natureza!
A Universidade do Kansas, através de um estudo conduzido pela psicóloga Ruth Ann Atchley, comprovou: contato com a natureza aumenta em 50% os níveis de criatividade. O grupo de Ruth acompanhou 56 mochileiros e comprovou que, após três dias de acampamento, ele atingiram seu pico criativo. Concluiu-se que, quanto maior o contato com ambientes agradáveis, mais o seu cérebro relaxa e trabalha de forma positiva.

Vá viajar!
Sim, viajar ajuda E MUITO! Não precisa ser um longo período, nem mesmo um intercâmbio: um pulo na cidade vizinha já é o suficiente. Sair da rotina faz o seu cérebro descansar, respirar um pouco e absorver novas imagens e sensações que serão estimulantes para o processo criativo. Mas não adianta apenas ir lá e ficar trancado no quarto do hotel e tchau e benção. Mergulhe de cabeça na cultura, nos costumes, visite quantos lugares forem possíveis. Seu cérebro agradecerá!

Vai de azul
Não, não é referência à companhia aérea. A Universidade da Colúmbia Britânica garante: trabalhar diante da cor azul aumenta em até duas vezes seu processo criativo. O estudo foi conduzido pela cientista Juliet Zhu que comprou os resultados. Por que isso acontece? Porque nosso cérebro associa o azul com oceano, céu, água… elementos da natureza que trazem a sensação de paz e tranquilidade. Uma pequena prova de que as cores têm influência significativa na mente e no nosso comportamento.

Devaneie!
Um estudo da Universidade da Califórnia comprovou que os devaneios (ou o famoso “sonhar acordado”) aumenta nossa capacidade de pensar diferente. É o momento em que nosso cérebro, por conta própria, sai da rotina e brinca um pouco com a imaginação ou as lembranças. Por isso dizem que as melhores ideias vêm no banho ou em alguma outra atividade cotidiana.

Barulho ajuda!
Também cai por terra a ideia de que o silêncio ajuda a criatividade. Um estudo da Associação Americana pelo Avanço da Ciência comprovou que barulhos suaves, como cafeterias, o som da chuva, do vento ou até mesmo o crepitar de uma fogueira estimulam o cérebro a trabalhar. Mas você não precisa se deslocar até uma cafeteria ou rezar para que a chuva caia no momento de trabalho: você pode “enganar” seu cérebro reproduzindo os sons. Alguns sites, como o A Soft Murmur ou o Rainy Mood podem lhe ajudar.

 

Além de relaxante, o som da chuva estimula nossa criatividade

Dê um break
Não, não é referência àquele famoso chocolate. A criatividade aumenta quando há a oportunidade da pessoa parar o que está fazendo e dar uma pequena volta, sair do local no qual trabalha. Essa pequena paradinha também ajuda nosso cérebro a descansar um pouco. A Universidade de Stanford conduziu um experimento com 176 estudantes e comprovou: os que puderam sair do ambiente do estudo e passear ficaram mais criativos em relação aos que permaneceram no local.

Risque e rabisque
Sabe quando se está em uma aula ou uma reunião, às vezes ouvindo um blá blá blá interminável e, quando você vê, está rabiscando em um papel? Pois essa atitude, por vezes considerada uma desatenção, ajuda nossa mente a atingir níveis de criatividade que não são possíveis quando estamos no modo tradicional de trabalho. Novamente, é quando nosso cérebro brinca com nossas habilidade e toma conta da situação, rabiscando e desenhando coisas de forma automática.

Cochilar é tão bom…
E é mesmo! Muitas pesquisas já mostraram que tirar um cochilinho após almoço ou em algum momento do dia é ótimo para estimular o processo criativo. Novamente, uma pequena pestana faz nossa mente descansar e ficar pronta para o trabalho. Claro que não estamos falando de deitar, dormir e acordar sabe-se lá quando: 20 minutos são essenciais para ajudar nossa mente.

Que mente infantil!
Liberte a criança interior. As crianças ainda são (em sua maioria) puras, com a mente sem influência dos fatores cotidianos e externos. Elas criam mundos novos, coloridos, inventam as histórias e brincadeiras mais criativas. Elas são incríveis! Pois então, pensar como uma criança ajuda e muito na criatividade. Alguns artistas inclusive infantilizam os pensamentos na hora de criar uma música, um quadro, etc, sempre alcançando bons resultados. Óbvio que há limites! Pensar como criança não é o mesmo que agir como criança. Todo juízo ainda é pouco!

Lembrando: assim como a rotina produtiva, a criatividade não aparecerá assim, de uma hora para outra. Como já dissemos, ela é como um gato: vem quando quer, não quando é chamada. Para estimular cada vez mais o seu processo criativo, pode-se seguir estas dicas sempre tendo a paciência ao seu lado. Uma hora dará certo.

E então, vamos ficar mais criativos?

Fonte: MNN