Escolha uma Página

Antigamente, possuir uma letra bonita era uma exigência social. Nas listas de materiais escolares era comum figurar um caderno de caligrafia. Porém, a escrita à mão está caindo em desuso devido ao avanço dos computadores, tablets e smartphones: trocou-se a caneta pelos dedos e as fontes cursivas pelas virtuais. Essa falta de prática leva a um resultado: letras garranchosas, cada vez mais ilegíveis

Apesar disso, ainda é de suma importância que se tenha uma escrita apresentável e legível. Em entrevistas de emprego, por exemplo, muitas empresas continuam pedindo por redações à mão e a qualidade da letra é um importante critério eliminatório. Se a sua letra não é lá essas coisas, tornando uma simples frase completamente incompreensível, está na hora de praticar e melhorar sua escrita. Então, confira essas dicas:

Escrita

1- A caneta certa
Pode não parecer, mas a qualidade dela pode tanto ajudar quanto atrapalhar. Se você não ficar confortável segurando uma caneta, o processo para melhoria de sua letra será penoso e desagradável. Não existe uma caneta mágica: ela pode ser uma simples esferográfica, uma elegante tinteiro ou uma cheia de tecnologias. O importante é que ela “faça amizade com sua mão” e não seja pesada na hora de escrever. Faça testes com diferentes tipos até encontrar a ideal para você.

2- Segurando
Este item está diretamente ligado ao anterior. Como o processo da escrita deve ser natural, é importante que a forma como você segura a caneta também seja. Nada de fazer aquele baita esforço para segurá-la. Você só ficará cansado mais rápido, podendo até a provocar dores. Segure a caneta com firmeza, mas ao mesmo tempo com suavidade, para que conjunto mão + caneta deslize naturalmente sobre o papel.

3- Aquecimento
Antes de atividades físicas, sempre devemos nos aquecer. Para a escrita também. Se você ficou um tempinho (ou um tempão!) sem pegar na caneta, será bom fazer alguns exercícios: desenhe círculos e ondinhas de forma contínua, pois esses movimentos são parecidos com os usados para uma escrita cursiva. Faça também repetições de letras até pegar a prática.

Escrita

4- Posicione bem o papel
Era comum que as professoras obrigassem dos alunos os cadernos ou o papel na posição vertical, mas não é bem assim. Algumas pessoas (aliás, muitas delas) simplesmente não conseguem escrever sem que a folha esteja de lado, na diagonal ou até mesmo de ponta-cabeça. Não se sinta constrangido: colocando o caderno na posição que for melhor para você, sua escrita sairá mais fácil e natural.

5- Inclinação e direção
Escreva um parágrafo, qualquer um, e corrija alguns pontos. É comum que algumas pessoas tenham a letra mais inclinada, o que não é um problema, desde que não prejudique a leitura. Se você achar que ela está muito acentuada, tente mudar a posição do papel ou treine sua escrita em linhas retas. Fique atento também ao alinhamento dos parágrafos. O ideal é que ele esteja justificado (tal qual este texto). Parágrafos desalinhados podem prejudicar sua letra e, consequentemente, a leitura.

6- Sem pressão!
Há pessoas que escrevem quase de forma invisível e há outras que quase cavam um buraco nas folhas. Mal encostar a ponta na superfície da folha resulta em uma escrita frouxa, enquanto pressionar demais a caneta no papel pode fazer com que sua mão se canse mais rápido. Faça testes e descubra a escrita que mais lhe agrada. Ah, é importante também manter uma pressão uniforme do começo ao fim do texto: a mesma pressão que você usou na primeira linha deve ser usada até a última.

Escrita

7- Tamanho importa, sim!
Olho vivo no tamanho da sua letra! Uma letra colossal demais, além de desperdiçar papel, deixa a leitura desconfortável. Da mesma forma, uma letra muito miúda prejudica o entendimento do que está escrito. Usar metade do espaço entre uma linha e outra de um caderno é o tamanho ideal. Atente-se também a outra coisa: as letras maiúsculas devem ter o mesmo tamanho, assim como as minúsculas.

8- Espaçamento
Sabe o parágrafo que você escreveu? Dê uma olhadinha no espaçamento entre as palavras. O ideal é que, entre cada uma delas, seja possível encaixar a sua letra “O” minúscula. Espaços maiores ou menores ao longo da redação indicam falta de domínio na escrita, o que não ajuda em nada na sua busca pela qualidade. Além disso, é importante que as palavras não fiquem muito juntas, pois certamente prejudicará a leitura.

9- Use bem os músculos!
A maioria das pessoas, mesmo com letra legível, usam mal os músculos na hora de escrever. Algumas usam apenas a ponta dos dedos, enquanto outras movimentam os punhos. Esse esforço sobre um único ponto pode trazer problemas na escrita e na saúde, como as LERs (Lesões por Esforço Repetitivo). A melhor forma é usar seu antebraço e seu cotovelo, mantendo a mão apenas como apoio para a caneta. Sim, pode parecer esquisito no começo, até deixando a letra um pouco feia, mas com bastante prática, você poderá escrever muito mais se cansando bem menos.

10- Writing is in the air
Escreva no ar! Sim, exatamente isso. No item anterior, vimos sobre usar o antebraço e o cotovelo para guiar a escrita, certo? Pois a melhor forma de treinar isso, antes de passar para o papel, é escrevendo palavras soltas no ar. Use seu dedo indicador como caneta, ou simule estar segurando uma, e faça movimentos no ar. Dessa forma, seus músculos ficarão muito mais treinados quando pegarem na caneta de verdade.

Além dessas dicas, é importante que se tenha uma disciplina. Da mesma forma que uma rotina produtiva é importante, também deve-se manter certa rotina na hora de treinar a escrita e deixá-la legível. Você não conseguirá uma letra apresentável na primeira tentativa, mas a regularidade no treinamento ajudará você a alcançá-la com muito mais rapidez. Então, pegue papel, caneta e bom treino!

Fonte: Mega Curioso